O dia em que o Maracanã viu um duplo hat-trick

Bebeto e McLaren, artilheiros natos e a certeza de muitos gols

Maracanã, 07 de Junho de 1992, o dia em que o maior estádio do mundo foi palco de uma das maiores apresentações de dois atacantes natos: Bebeto e Paulinho Mclaren deixaram suas marcas no templo do futebol.

Era apenas a primeira rodada da segunda fase daquele campeonato que havia começado com 20 equipes e chegava à segunda etapa com oito times, separados em dois grupos, cada um com quatro participantes. O grupo 1 tinha Flamengo, Vasco, Santos e São Paulo.

O grupo dois era formado por Botafogo, Bragantino, Corinthians e Cruzeiro. Só o vencedor de cada chave passava pra final.

O Vasco era um timaço, a equipe comandada por Nelsinho Rosa tinha nomes como Bismarck, Geovani, Alexandre Torres, o ainda garoto Edmundo e Bebeto, este último no auge de sua forma física e técnica, o bom baiano terminou aquele brasileiro com 18 gols marcados.

No brasileiro de 1992, Bebeto anotou 18 gols

O peixe por sua vez contava com : Ranielli e Bernardo no meio campo, no ataque uma dupla de respeito, Guga e Paulinho eram os responsáveis pelos gols do time. Mclaren marcou 12 gols naquele brasileiro e foi o vice artilheiro da campeonato,ao lado de Chicão do Botafogo.

Vamos ao jogo:

Num Maracanã com mais de 30 mil pessoas (público baixo para os padrões da época), o Santos saiu na frente do placar, após cobrança de escanteio, Paulinho aproveitou um leve desviou e marcou o primeiro gol da partida.

Ainda no primeiro tempo Bebeto empatou a partida, aproveitando-se de um vacilo da zaga, o atacante cruzmaltino igualou o marcador, o artilheiro do campeonato ainda teve tempo de virar o jogo numa jogada de raça e coragem, 2 x 1 pro Vasco.

Em vantagem no marcador o time carioca deu mole na marcação e Paulinho empatou em jogada muito parecida com seu primeiro gol, novamente numa cobrança de escanteio ele apareceu livre no segundo pau para marcar, 2 a 2.

Mas Bebeto continuava infernal, aproveitando boa jogada de Edmundo o atacante vascaíno marcou seu terceiro gol no jogo. Pena pro Vasco que Paulinho também estava em noite inspirada e foi às redes pela terceira vez, num belo “sem pulo” empatou a partida e decretou o empate num clássico recheado de gols e artilheiros.

Jogos como esse Vasco e Santos é que nos deixam saudosos do bom futebol que víamos em nossos gramados, bons tempos que a “evolução” tratou de desperdiçar.

                                                 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *