O abandono do Brasileirão: incompetência ou culpa do calendário?

Muitas equipes resolveram poupar jogadores titulares durante o brasileirão

Alguns clubes optaram por deixar o brasileirão em segundo plano, com isso, alguns treinadores vivem dilema na competição

Com a mudança de calendário da Libertadores, que durará até o fim da temporada, e com a Copa do Brasil mais longa do que de costume.

As equipes que disputam em paralelo com o Campeonato Brasileiro Série A praticamente abdicaram de grandes aspirações no certame.

Grêmio, Palmeiras, Flamengo, Botafogo, Atlético/PR, Atlético/MG e Chapecoense jogaram ou estão em disputa na competição continental, além de ganharem como bônus uma vaga direta nas oitavas de final da Copa do Brasil.

Após meses de confrontos, o Imortal, o Glorioso e o Peixe continuam na ‘Liberta’ e a final do segundo torneio mais importante do país é disputada por Flamengo e Cruzeiro.

 

Jair Ventura também poupou seus jogadores ao longo da competição.

Nesse período a Série A esteve a todo vapor e os clubes fora dessas disputas tentaram aproveitar para deslanchar, mas só o Corinthians aproveitou.

Com a maioria dos times com campanhas irregulares, o Timão fez uma campanha quase perfeita no primeiro turno e hoje ostenta uma diferença de dez pontos para o segundo colocado, o Grêmio.

Essa distância poderia ser bem menor, pois no returno o time paulista vem caindo de produção, mas os rivais não fizeram por onde.

E aí, de quem é culpa?

Os comandados de Renato Gaúcho estavam envolvidos na Copa do Brasil e na Libertadores, com isso pouparam em grande parte do campeonato seus principais titulares.

Em algumas ocasiões, com muitas viagens e jogos sequenciados, esse medida foi válida, mas em muitos momentos forçaram a barra para esconder a incompetência de suas equipes em busca do título.

Muitos treinadores levantam a moral do elenco em entrevistas, mas quando vão pontuar os erros por uma derrota, o principal motivo listado: a falta dos titulares.

As alterações no calendário com as competições de mata-mata sendo disputadas até o final do ano fazem com que a indecisão paire sobre os comandos das equipes.

Por exemplo, se um treinador resolve apostar tudo na Libertadores e esquecer o Brasileirão, a margem de erro é muito grande.

Se a equipe for 100% em todos os jogos do longo pontos corridos é arriscado chegar com o físico abaixo do necessários nas finais do mata-mata.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *