O adeus ao maestro Andrea Pirlo

O meio-campista italiano encerrou a carreira aos 38 anos, sendo seu último clube o New York City FC

 

Na última segunda-feira,6, o mundo do futebol “perdeu” mais um excelente craque da bola. O italiano Andrea Pirlo, de 38 anos, anunciou a sua aposentadoria dos gramados internacionais.

Atuando pelo New York City FC nesta última temporada, o ex-jogador da seleção italianaMilan, Internazionale e Juventus se despediu de forma sútil, como ele sempre foi.

INÍCIO

Nascido em Brescia, seu primeiro clube foi o da sua cidade natal, na qual tinha o mesmo nome. O início de sua carreira foi na temporada 1995-96, seguindo até 1998, marcando seis gols em 49 jogos ao todo.

Início da carreira pelo Brescia

Com uma bela forma de jogar, o arquiteto despertou interesse de um dos grandes clubes da Itália, a Internazionale. Ao final da temporada de 1998, o volante acabou assinando contrato com os nerazzurri, mas não se firmou no elenco estrelado que tinham Ronaldo e Seedorf como referência, e acabou sendo emprestado. Depois de Reggina (1999-2000) e Brescia (2001), Pirlo teve sua ascendência, agora no maior rival da Inter, o Milan.

A ASCENDÊNCIA DE UM MAESTRO

Após passar por três clubes italianos, Pirlo foi para o Milan, um dos gigantes da Europa. Nos rossoneros, conquistou vários títulos, entre eles a Champions League e vários campeonatos italianos. Foram duas Liga dos Campeões (2002-03 e 2006-07) e dois títulos do Campeonato Italiano (2003-04 e 2010-11), estes os mais importantes.

Pelo Milan o meia conquistou a Champions em 2007

Vale ressaltar também que Pirlo, ainda como jogador do Milan, foi campeão do mundo atuando pela seleção italiana no ano de 2006, dando o tetra a azzurra. Com toda experiência vivida e títulos cada vez mais visíveis, o rei dos passes curtos e longos era excepcional.

Pirlo foi um dos pilares da Itália campeã mundial de 2006

A HEGEMONIA NA JUVENTUS E NA ITÁLIA

Após dez temporadas no Milan (2001 à 2011), Andrea Pirlo, enfim, trocou de time. Seu novo projeto era ambicioso e poderoso, pois o mesmo iria vestir a camisa do maior clube da Itália.

A Juventus precisava de um maestro para o seu meio-campo, e logo de imediato o contratou, a custo zero.

Final da UEFA Champions League Final entre Juventus e Barcelona em 2015

Na Vecchia Signora, o ex-camisa 21 conquistou quatro scudettos ,sendo que um destes foi de forma invicta na temporada 2011-12.

Sempre é bom lembrar que Pirlo, ao chegar em Turim, recebeu um pouco de críticas por conta de suas lesões, todavia, deu a volta por cima e conseguiu mostrar o seu devido futebol, tanto é que só na Juve, conseguiu conquistar sete títulos ao todo.

O ADEUS 

Andrea Pirlo, em campo, não foi somente um volante que só sabia marcar. Na verdade, ele era um dos poucos volantes que não sabia marcar.

Não precisava dar carrinho, se sujar, correr à vários quilômetros para conseguir chegar na bola. Ele era o maestro. O espetáculo. A bola que deveria correr por ele.

Veja a carta de despedida do italiano

Sua capacidade de raciocínio e visão de jogo era inexplicável. Nem precisava por meiões, caneleiras e todos aqueles trajes que os jogadores de futebol vestiam.

O adeus já no New York City

Bastava um terno e uma gravata, se quisesse. Ele dava conta do recado. Suas cobranças de falta eram milimétricas, sendo que parecia que o mesmo jogava a bola com a mão para a rede. Inevitável.

Um atleta que encheu os olhos de milhares de fãs e, que hoje, deixará saudades por um longo período. De vários craques que já passaram pelo gramado, de muitos meio-campistas que dava espetáculo em apenas um gesto, Pirlo foi um dos melhores. E se não, o melhor.

Grazie per tutto, Andrea Pirlo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *