Gattuso: o salvador rossonero?

Após a demissão de Vincenzo Montella no comando técnico do Milan, Gennaro Gattuso, que estava treinando a equipe primavera milanista, é a aposta da diretoria para o time principal

Ídolo como jogador, Gennaro Gattuso terá a sua quarta experiência como treinador no futebol italiano

Na temporada 2017-18, especulava-se que o AC Milan iria reascender a luz de sua grandeza no futebol italiano. Com a venda do clube aos chineses por R$ 2,5 bilhões, o sonho de que novas contratações e um time mais forte para a próxima temporada estariam em jogo para os torcedores.

Com a classificação do Milan para a Liga Europa desta temporada, a sensação de que um possível título continental, depois de muitos anos, surgiria. Antes do Calcio começar, investiu-se 200 milhões de euros (cerca de R$ 770 milhões) em contratações.

A previsão era que entrariam forte em todas as competições que iriam disputar. As vindas de Çalhanoglu, Conti e de Bonucci, esta umas das principais contratações do mercado italiano, davam as boas-vindas de que o Milan chegaria com tudo.

O começo do Campeonato Italiano pareceu bem visto pelos torcedores. Nas primeiras cinco rodadas, o time, do então técnico Vincenzo Montella, havia perdido somente uma partida, esta contra a Lazio, pelo placar de 4 a 1.

Mas a partir destas cinco rodadas, o time começou a despencar. Empates, derrotas e um futebol mal visto eram os mais observados.

A diretoria rossonera dava chances a Montella, mas no empate contra o Torino, dentro de casa, na décima quarta rodada, foi o ápice para que os cartolas o demitisse. E com a sua saída, Gennaro Gattuso, ídolo do clube, foi anunciado para ser o novo treinador.

Escolha arriscada?

A idolatria que Gattuso tem no Milan, com certeza, é imprescindível. Sua raça e bravura quando vestia as camisas rubro-negras do Milan eram gigantes.

Mas como treinador, não se sabe como o ex-camisa oito será. Antes disso, ele estava treinando a equipe sub-19 do Milan, que de 10 jogos, venceu oito deles.

(Photo by Valerio Pennicino/Getty Images)

É claro que seu aproveitamento no comando do time de base rossonero foi muito bom, contudo, treinar o elenco principal não será nada fácil, até porque o jeito de jogar é completamente diferente.

Atualmente a equipe ocupa a sétima posição na Série A, com 20 pontos. A chance de ganhar o campeonato nacional, matematicamente, é muito pequena. A distância entre o líder Napoli, atualmente com 38 pontos, é grande.

O que se fazer?

Como o sonho do título do Italiano está bem afastado, ainda há uma solução benéfica para os milanistas. E com Gattuso de técnico, pode-se ainda mais ser conquistado.

Na Liga Europa, a equipe ocupa a primeira posição do grupo D, com 11 pontos, já garantido para a próxima fase, já que o AEK, vice-líder, tem apenas sete pontos. Na última rodada da fase de grupos, o Milan enfrenta o Rijeka, fora de casa.

Por mais que na Liga Europa ainda tenham times que também são fortes, como Arsenal, Lyon e Villareal, por exemplo, o Milan continua sendo um dos favoritos a conquista.

É notório que em se tratando de Ligas Europa, os rossoneros ainda não tem, mas nas competições continentais, ao todo, há uma grandeza diante as outras equipes. São sete títulos de Liga dos Campões, duas Recopas européias e cinco Supercopas.

Destes imensos títulos, Gattuso participou em alguns deles, todas como jogador. Mas como técnico, será que conseguirá deixar o Milan com um esquema tático que dê motivações aos torcedores a sonharem novamente com títulos? É claro que garra não vai faltar, porém, será que os jogadores vão conseguir corresponder em campo o que o ídolo milanista quer? Será que a diretoria acertou realmente na contratação de Gattuso?

Isso é outra história, e só podemos ver depois que o novo técnico do Milan conseguir manter o elenco do jeito que ele achar melhor.

Mas uma coisa é certa: as respostas têm que ser tomadas rapidamente, pois os milanistas querem ser poderosos novamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *