Aimar se despede do futebol deixando um legado que chegou até Messi

Aimar, nasceu em 3 de novembro de 1979 no Rio Cuarto e atualmente é treinador da seleção argentina Sub 17.

Pablo Aimar teve sua despedida do futebol profissional. Uma despedida “diferente da que a maioria escolhe”, disse ele. Foi no jogo entre Estudiantes de Río Cuarto e Sportivo Belgrano válido pela primeira rodada da Copa Argentina 2018. A partida terminou emparata em 0 a 0, mas deu a classificação da equipe visitante graças ao 2 a 1 obtido no primeiro encontro entre os times.

Pablito jogou 50 minutos, o suficiente para mostrar algumas pinceladas do jogador brilhante que marcou sua trajetória no futebol.

Marcelo “El loco” Bielsa, que o dirigiu na Seleção Argentina, fez questão de ir ao estádio para acompanhar a despedida do craque.

El Payasito, estreou nos millonarios em 1996. Ele passou por Valencia, Zaragoza e Benfica; atuou também no Johor Darul Takzim da Malásia, antes de retornar e se “aposentar” no River em julho de 2015. 

O craque riocuartense ganhou títulos em todos os clubes em que jogou. Ele ganhou cinco campeonatos argentinos e três copas internacionais com River; duas ligas da Espanha, a Taça UEFA e a Supercopa da Europa com o Valencia; cinco campeonatos portugueses com o Benfica e uma liga com Johor Darul Takzim da Malásia.

Em 1999, comemorando seu gol no superclássico diante do Boca Juniors

Aimar foi campeão mundial juvenil com a seleção argentina que José Néstor Pekerman liderou na Malásia em 1997 e venceu o sul-americano da categoria no Chile em 1997 e na Argentina em 1999.

Messi e a reverência a Aimar

La pulga nunca escondeu sua admiração por Aimar. O camisa 10 do Barcelona, sempre que possível, fez questão de mencionar a influência positiva do talentoso ex-meia em seu estilo de jogo.

Quando Aimar anunciou a sua aposentadoria do River, Messi fez questão de mostrar sua gratidão ao jogador.

“Se aposenta um gigante, um dos meus ídolos. Pablo Aimar, te desejo o melhor na sua nova etapa. Obrigado por toda a magia que nos deu a oportunidade de desfrutar”

Apesar da diferença de idade entre os jogadores, Messi ainda conseguiu jogar ao lado de Aimar. O camisa 10 do Barcelona ainda era muito novo, mas jogou com Aimar na seleção argentina de 2005 a 2009.

O respeito sempre foi recíproco. Na edição da Bola de Ouro em 2015, entregue pela Fifa em parceria com a revista France Football, Aimar manifestou seu apoio incondicional a Messi. “Para mim, vai ser sempre o melhor”, falou o ex-ídolo do River.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *