Conheça mais sobre o canto da torcida do Livorno “Bella Ciao”

A música também está inserida na trilha sonora da série da Netflix “La Casa de Papel”

Uma das mais fanáticas da Itália, a torcida do Livorno há bastante tempo já cantava a música que, hoje, é uma das mais ouvidas devido à série da Netflix “La Casa de Papel”.

Mas você sabe qual mensagem ela queria passar? Sabe com que motivo ela foi feita? Continue lendo e veja quão a melodia italiana foi importante, principalmente na Segunda Guerra Mundial.

A história de Bella Ciao

Bastante popular na Itália, “Bella Ciao” foi composta no fim do século XIX, se tornando símbolo da resistência contra o fascismo durante a Segunda Guerra Mundial. E como sabemos, esta era a época em que Benito Mussolini estava no poder do país.

A música também embalou muitos partidos de esquerda ao redor do mundo, como por exemplo, uma manifestação pró-democracia em Hong Kong, em 2014.

Mas quem a originou?

Sua origem ainda é imprecisa, porém, alguns relatos mais seguros é que a melodia teria sido inspirada em um cântico que começara de camponeses da Emilia Romagna, no final do século XIX.

Em suas letras, a melodia chama a atenção de alguns pontos:

“O partigiano, portami via. O bella ciao, bella ciao, bella ciao, ciao, ciao (Oh, membro da Resistência, leve-me embora. Querida, adeus! Querida, adeus! Querida, adeus, adeus, adeus!)” […]

E se io muoio da partigiano. O bella ciao, bella ciao, bella ciao, ciao, ciao (E se eu morrer como um membro da Resistência. Querida, adeus! Querida, adeus! Querida, adeus, adeus, adeus!) […]

Quer dizer, é uma música que traz um significado melancólico, como se fosse um camponês falando para a sua esposa que, mesmo resistindo, logo partiria e morreria.

Futebol e Política

Um fato que liga a música com a torcida do Livorno é que esta mantem-se sua ideologia política de esquerda e, por isso, escolheu a música como canção principal em seus estádios. Vale ressaltar que quando “Bella Ciao” é cantada pelos torcedores, seu intuito é de dar ainda mais motivação para os jogadores que estão em campo.

Contudo, por mais que a música seja interessante, há quem insinue a violência e a ideologia oposta pelos torcedores do Livorno. Um exemplo claro disso é a torcida da Lazio, considerada uma das mais racistas do mundo. As duas torcidas têm ideologias diferentes, e ambos são assumidamente políticos: a Lazio (fascista) e o Livorno (comunista).

Algo interessante que pouca gente sabe é que o ex-atleta da equipe livornense, Cristiano Lucarelli, sempre foi comunista – dentro e fora de campo –, por isso recusava assinar com outras equipes italianas pelo “partido político” de tais. No caso da Lazio, seus sentimentos racistas e rancorosos não passam por despercebidos. Em 1998, por exemplo, a torcida impactou o mundo quando exibiram uma faixa anti-semita dirigida aos judeus com os dizeres: “Auschwitz vossa pátria, os fornos vossas casas!”.

Cristiano Lucarelli comemorando um gol pelo Livorno contra
o Milan em 2004. (Foto: Carlo Baroncini/AFP/Getty Images)

Já em 2001, durante um jogo contra o Roma, a torcida da Lazio entoou cantos racistas contra os jogadores negros do Roma (entre os quais estavam jogadores brasileiros) e exibiram cartazes com os dizeres: “Equipe de negros, fundo de judeus!”. Após o jogo, conflitos entre torcedores deixaram vários feridos e e alguns detidos.

E mesmo com toda essa história contada, podemos dizer que, mesmo assim, a torcida do Livorno cantando “Bella Ciao” é apaixonante, assim como outros cantos nos estádios.

Confira o vídeo da música italiana sendo cantada pelos toscanos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *