Liverpool x Roma e o sonho que parecia distante

Longe de serem favoritas, as equipes duelam por uma vaga na final da Liga dos Campeões

Duas cidades místicas, culturas diferentes e muita história envolvendo as civilizações inglesas e italianas. No futebol, o confronto entre Inglaterra e Itália sempre gera grande expectativa seja ela entre as seleções ou clubes.

Liverpool e Roma abrem nesta terça-feira, às 15h45 (de Brasília), no estádio Anfield Road, em Liverpool, na Inglaterra, as semifinais da Liga dos Campeões da Europa. O time da casa não chegava a esta fase havia 10 anos; o visitante não a alcançava fazia 34, desde a época de Paulo Roberto Falcão.

Esse é o sexto encontro entre Liverpool e Roma em competições europeias e o primeiro desde março de 2002, quando se enfrentaram pela segunda fase de grupos da Champions League. Nas cinco oportunidades anteriores, os Reds venceram duas vezes, outros dois empates aconteceram e os italianos venceram em apenas uma ocasião.

Em 1984, quando o brasileiro Falcão comandava o meio-campo italiano, a Roma decidiu sua única final de Liga diante do Liverpool. O jogo foi equilibrado, mas com leve domínio romano.  O duelo terminou empatado em 1 a 1. Os Reds abriram o placar aos 13 minutos, com um gol de Phil Neal. No final do primeiro tempo, a Roma empatou, com Pruzzo, aos 42. A Loba dominou o segundo tempo e boa parte a prorrogação, mas não conseguiu sair com a vitória no tempo normal.

Com apoio maciço da sua torcida, já que decisão era no Estádio Olímpico, em Roma, os italianos pressionaram, mas não saíram do empate. Após o 0 a 0 da prorrogação, o Liverpool venceu nos pênaltis por 4 X 2,  quando brilhou a estrela do goleiro Grobbelaar.

Di Bartolomei e Souness trocam flâmulas na final (Photo by Bob Thomas/Getty Images)

 

Semifinal inesperada

Antes da competição, as duas equipes estavam longe de serem taxadas como agremiações que chegariam as fases agudas do torneio.

Apesar da tradição, do peso da camisa e dos investimento altos (bem menores que as principais equipes da Europa), era inesperado que uma delas chegasse na final.

O Liverpool, do excelente Jurgen Klopp, chega a final com um futebol vistoso e cheio de confiança. Apesar de ter uma defesa que não passa segurança, o poderio ofensivo do time da cidade dos Beatles impressiona. Mesmo com a saída de Phillipe Coutinho para o Barcelona, os três comandantes continuaram evoluindo.

Sadio Mané, Roberto Firmino e Salah vem fazendo grande temporada. O egípcio se tornou o primeiro jogador na história da Premier League a faturar três vezes o troféu de melhor do mês na mesma edição de campeonato. No último domingo, em Londres, recebeu o troféu de melhor jogador da temporada da Associação dos Jogadores Profissionais de Inglaterra (PFA). São 46 jogos na temporada com 41 gols marcados e 11 assistências. O brasileiro vem embalado com 48 jogos e 25 gols na temporada 2017/2018. Mesmo sendo menos eficiente que os outros dois, Sadio Mané atuou em 39 oportunidades e marcou 17 gols. Sua velocidade característica e dribles fazem o jogador um dos queridinhos de Jurgen Klopp.

Com uma campanha bem sólida e sem sustos na UCL, o Liverpool chega como favorito para a partida. A equipe foi líder do Grupo E, com 12 pontos, eliminou o Porto, com uma goleada por 5 a 0, em  Portugal, e passou com propriedade pelo Manchester City, de Pep Guardiola.

Na Roma, a vaga na semifinal é ainda mais inacreditável. O clube italiano já havia caído inúmeras vezes em fases anteriores. Sem Totti, que se aposentou na temporada passada, a equipe já surpreendeu na primeira fase. Em um grupo com Chelsea e Atlético de Madrid, os Lobos avançaram em primeiro. Nas Oitavas de Final, uma derrota no jogo de ida para o Shakhtar Donetsk por 2 a 1, mas o 1 a 0, em casa, garantiu a vaga para enfrentar o Barcelona. Um 4 a 1 no Camp Nou praticamente zerou as chances dos italianos avançarem, mas em uma reviravolta fenomenal, a Roma aplicou 3 a 0 no Estádio Olímpico e garantiu vaga na semi.

O time de Di Francesco aposta na velocidade em seus ataques. A equipe tem a menor média de posse entre os quatro semifinalistas da Liga dos Campeões. Com 50,2% apenas, aliás, fica em 14º no quesito levando em conta todas as equipes que disputaram a atual edição.

O futebol da Roma é vertical,  tem escape e ataca em profundidade. O treinador explicou o seu estilo em uma afirmação: “Eu sempre falo para os meninos: dois passes para o lado é muito.”

A grande fase do brasileiro Alisson é uma das armas da Roma para parar o ótimo ataque do Liverpool

Menor repetição

 

Com Real Madrid, Bayern, Liverpool e Roma, a semifinal da Liga dos Campeões em 2018 tem a menor repetição de semifinalistas de Champions desde 2011.

Um Conto de Duas Cidades, em referência ao imortal romance de Charles Dickens, é o tema do vídeo de divulgação para o duelo entre Liverpool e Roma. São apresentadas lado a lado semelhanças e diferenças dos dois clubes e também das duas cidades. Além do futebol, o foco recai na cultura, na gastronomia e na história de Roma e Liverpool.  Gerrard e Totti, dois dos maiores ídolos dos clubes, comentam sobre o duelo que vale vaga na final.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *