#47: Roger Milla, herói aos 38 anos numa Copa do Mundo

Milla marcou quatro gols em 1990 e ajudou os Leões Indomáveis a chegarem nas quartas-de-final naquela edição

A Copa do Mundo de 1990 começou com as atenções voltadas para craques do mundo Maradona,Caniggia, Careca, Silas, Baggio,Baresi, Klinsmann, Matthäus, Van Basten e Gulli eram os principais nomes daquela edição.

O camaronês, aos 38 anos, era lembrado apenas pela idade. Tanto sua seleção, quanto seu futebol eram apenas folclore para muita gente que acompanhou o campeonato.

Fase de grupos

A seleção africana caiu num grupo muito complicado naquele ano. A Argentina de Maradona, atual campeã mundial, e as europeias Romênia e União Soviética formavam, junto com os africanos o Grupo B da Copa.

Logo de cara, os Leões tiveram a Argentina pela frente. A vitória do time de Maradona era dada como certa naquela partida.

Os camaroneses surpreenderam e conseguiram vencer o jogo. Omam-Biyik, aos 22 do segundo tempo, subiu mais alto que a defesa portenha e cabeceou para o gol, o goleiro Pumpido foi mal no lance e tomou um dos maiores frangos da história das Copas.

Os africanos saíram do jogo festejados. A zebra corria solta pelos gramados italianos e a liderança do grupo era do time de Milla, que ainda não havia aprontado na Copa.

A segunda partida era contra a Romênia, e a primeira em que MIlla começava a “aparecer” na Copa. O 2 a 1 contra os romenos garantiu a classificação antecipada dos leões às oitavas-de-final. Milla marcou duas vezes e garantiu mais uma festa africana na Itália.

No terceiro jogo, os camaroneses, já classificados e com os reservas em campo, acabaram derrotados por 4 a 0 pela União Soviética. O resultado não alterou a posição do time na tabela, que agora iria enfrentar a Colômbia, do folclórico René Higuita na fase seguinte.

Embate histórico

As oitavas-de-final marcou um duelo pra lá de incomum. Camarões e Colômbia chegavam entre os dezesseis melhores da Copa do Mundo da Itália e um dos dois estaria entre os oito da fase seguinte.

Camarões e Colômbia fizeram um jogo muito igual, os times perderam inúmeras chances de gols durantes os noventa minutos e não conseguiram sair do zero. O jogo foi pra prorrogação e foi aí que Milla foi decisivo.

Higuita desesperado atrás de Milla é uma das cenas mais marcantes da história do futebol.

Logo no primeiro minuto do segundo tempo da prorrogação, Milla recebeu passe pela esquerda e bateu forte, sem chances para Higuita. Três minutos depois veio um dos lances mais emblemáticos da histórias das Copas.

O goleiro colombiano, conhecido por atuar sempre adiantado, recebeu passe bem longe de sua área e tentou driblar Milla. O experiente atacante roubou a bola e marcou o segundo gol camaronês na partida. No final do jogo a Colômbia ainda diminuiu o placar, mas a vitória já estava garantida para os africanos.

Nas quartas-de-final veio a Inglaterra. Os camaroneses novamente jogaram bem e venciam o jogo por 2 a 1. Milla novamente era destaque na partida, havia sofrido um pênalti e dado a assistência para o segundo gol.

Aí a Inglaterra voltou aos jogo, aos 38 minutos do segundo tempo, Lineker empatou a partida. O jogo foi pra prorrogação e Lineker marcou novamente e sacramentou a virada e a classificação inglesa as semifinais do torneio.

Os camaroneses saiam da Copa, mas deixavam um legado para os africanos, que desde então sempre emplacam alguma seleção como sensação no torneio mundial.

Faltam 47 dias para a Copa do Mundo na Rússia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *