#45: A frieza alemã de Klose para superar Ronaldo

O alemão é o maior artilheiro das Copas

Em clubes, o alemão teve maior destaque no Werder Bremen. Na primeira temporada, marcou 15 vezes. Na temporada seguinte, a de 2005-06, foi artilheiro do campeonato, com 25 gols em 26 jogos. Ainda teve uma boa passagem por Bayern de Munique e Lazio.

Klose nasceu na Polônia e foi com seus familiares ainda na infância para a Alemanha, se naturalizando alemão e conquistando o título mundial com a Nationalelf em 2014. Começou a jogar futebol no Homburg, onde jogou apenas uma temporada como profissional, depois transferiu-se para o Kaiserslautern, onde ficou até 2004.

Maior artilheiro das Copas

O atacante estreou pela equipe principal da Alemanha no dia 24 de março de 2001, marcando o gol da vitória contra a Albânia. Dessa forma, o técnico Völler convocou-o para a seleção na Copa do Mundo de 2002, na Coreia do Sul e no Japão.

Na competição, Klose foi o vice-artilheiro, só atrás de Ronaldo, alcançando a Bola de Prata como segundo melhor marcador da Copa. Marcou cinco vezes, todas na primeira fase do mundial: três na estreia, na goleada de 8-0 sobre a Arábia Saudita; um no empate em 1-1 contra a Irlanda, e outro na vitória por 2-0 sobre Camarões.

A Seleção Alemã ficou com vice após uma derrota para a Seleção Brasileira na final e Klose foi criticado por não ter marcado no mata-mata.

Em 2006, Klose marcou dois gols contra a seleção de Costa Rica. A partida seguinte foi contra seu país-natal, a Polônia, na qual não fez gols (a partida terminou 1-0 para a Alemanha), mas voltou a marcar gols na terceira partida da fase de grupos, contra o Equador, um em chute cruzado e outro em penetração com um drible no goleiro.

Nas oitavas de final, contra a Suécia, novamente não marcou, mas deu passe para os 2 gols de seu parceiro de ataque Lukas Podolski, polonês como ele.

Nas quartas de final, Klose voltou a marcar um gol de cabeça, empatando a partida em 1 a 1 contra a Argentina a dez minutos do final.

As duas últimas copas de Klose

Para 2010, o atacante era uma das grandes esperanças da Alemanha. O atleta foi convocado por Joachim Löw para a competição na África do Sul onde o jogador veio com o intuito de ser o maior artilheiro de todas as Copas, Klose precisaria de 5 gols para igualar Ronaldo e 6 para ultrapassar o “fenômeno”. Porém, ficou há um tento de alcançar Ronaldo.

Na partida de estreia contra a Austrália ele marcou o segundo gol da Alemanha na vitória por 4 a 0, aquele era seu primeiro gol na competição. Klose só voltaria a marcar nas oitavas de final, contra a Inglaterra, na goleada de 4-1.

Seu dois últimos gols foram na sua centésima partida com a camisa da Alemanha, contra a Argentina, em nova goleada: 4 a 0.

Em má fase na carreira, a ida do atacante para a Copa de 2014 era tida como improvável, mas Low confiou no faro de gol do atacante e lhe deu a oportunidade de bater o recorde do Ronaldo, na casa dele, um tanto quanto cruel.

Foi mais cruel do que o imaginado. Contra Gana, na Arena Castelão, o experiente atacante marcou o gol que empatava com o Fenômeno.

O tento que garantiu a liderança isolada foi para maltratar os brasileiros. Na semifinal, contra o Brasil, a Seleção Alemã aplicou a maior goleada em uma semifinal de Copa ao vencer os comandados de Felipão por 7 a 1. Klose marcou o segundo gol e se transformou no maior artilheiro das Copas no Mineirão, primeira casa onde Ronaldo fez sucesso, e contra os donos da casa.

Faltam 45 dias para a Copa do Mundo da Rússia em 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *