#21: Goleiros em Copas, dos fracassos à glórias

Pouco valorizados, quase sempre culpados pelos fracassos das derrotas, os goleiros nem sempre têm o reconhecimento que merecem. Mesmo assim, alguns deles entraram para para a história por causa de suas atuações em Copas do Mundo.

Os brasileiros 

Pelo Brasil, pelo menos dois nomes se destacaram de forma positiva em mundiais. Gilmar dos Santos Neves, foi o único goleiro titular em duas campanhas vitoriosas  – em 1958 e 1962 –  e Taffarel, eternizado em 1994, após a disputa de pênaltis contra a Itália, que garantiu o pentacampeonato a seleção brasileira.

Outros nomes importantes em Copas

O italiano Dino Zoff disputou quatro Copas, mas apenas em sua última participação nos mundiais, em 1982, que conseguiu levar a taça para casa. O argentino Ubaldo Fillol foi tão importante para a conquista do primeiro mundial para os hermanos, quanto o regime militar em vigor à época em solo portenho. 

Oliver Kahn também entrou para a história dos torneios mundiais. O alemão se tornou o único goleiro a ser eleito o melhor jogador em uma edição de Copa do Mundo, no mundial do Japão e Coréia em 2002.

Todos esse se destacaram de uma forma ou de outra na competição. Porém, nenhum deles fez uma defesa tão icônica quanto Gordon banks. No mundial do México em 1970, o inglês fez uma defesa que entrou para a história do futebol. A linda cabeçada de Pelé parou na impressionante defesa de Banks, que após aquele lance, ficou marcado como o goleiro que “parou o rei”, e acabou carregando esse título pelo resto de sua vida.

Faltam 21 dias para a Copa da Rússia.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *