#17: Garrincha quase não foi para a Copa do Mundo por ter “garrafas em vez de cérebro”

O psicólogo da seleção brasileira recomendou não levar Garrincha à Copa do Mundo de 1958 devido ao seu baixo nível intelectual.

Garrincha é um dos maiores expoentes da história do futebol brasileiro. Suas características físicas particulares, assim como seu talento no campo, se destacaram em todo o mundo com a ‘amarelinha’. No entanto, sua inteligência esteve muito perto de tirá-lo da Copa do Mundo de 1958 na Suécia.

Garrincha fez sua estréia profissional em 1951, pelo Botafogo e, gradualmente, começou a se tornar um jogador de destaque. Porém, não apenas seu talento o fez chamar a atenção dos torcedores, mas também suas características físicas. Seus pés foram virados 80 graus para dentro, sua perna direita tinha 6 cm a menos do que a esquerda e sua coluna estava torta. Essas condições lhe valeram o apelido de “O anjo com as pernas torcidas”.

Para a Copa do Mundo na Suécia em 1958, a CBD – que veio antes da CBF – contratou o psicólogo João Carvalhais para trabalhar com o time no aspecto mental. Uma de suas recomendações para o técnico foi retirar Garrincha devido ao seu baixo nível intelectual.

Segundo o especialista, o atacante tinha “garrafas em vez de cérebros” , por isso era altamente recomendável que ele não comparecesse à Copa do Mundo. Ao saber disso, seus colegas de Botafogo, Nilton Santos e Didi decidiram conversar com o psicólogo para não insistir em deixar Mané fora. Seu argumento era “Doutor, Garrincha pode jogar futebol”.

No final, ambas as partes mostraram sua parte da razão. Garrincha participou da Copa do Mundo com o Brasil e foi fundamental para conquistar o bicampeonato no Chile em 1962. Com a seleção, Mané jogou 60 partidas, dos quais ele venceu 52 e perdeu apenas um.

O psicologo tinha certa razão

Por outro lado, naquela Copa do Mundo na Suécia, foi demonstrado que o psicólogo não estava tão errado com seu diagnóstico. Durante sua estada na Europa, Garrincha comprou um rádio transistor a um preço alto sem saber que as estações que ele poderia captar eram apenas as do país escandinavo. Decepcionado em sua aquisição, ele acabou vendendo o dispositivo para a massagista da equipe por um preço muito mais baixo do que ele usou para comprá-lo em primeiro lugar.

Faltam 17 dias para a Copa da Rússia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *