Grupo D: Argentina, Islândia, Croácia e Nigéria

A Argentina de Lionel Messi estará no complicado Grupo D, ao lado de Croácia, Islândia,que já mostrou na Eurocopa que não é um rival fácil e da Nigéria que é muito mais do que uma equipe física.

Argentina e Messi, tudo ou nada

A Argentina teve que esperar até a última rodada das eliminatórias sul-americanas para selar sua classificação para a Rússia. A confirmação veio após o seu triunfo por 3-1 contra o Equador.

Jorge Sampaoli substituiu Edgardo Bauza quando a Argentina balançou e quase ficou de fora da Copa. O ex-técnico do Chile será solicitado agora por outro passo mais decisivo: conquistar a coroa mundial. Não é mais aceito apenas ser o finalista, como aconteceu no Brasil.

A histórica goleada de 6-1 que a Espanha deu sobre os hermanos no último mês de março,em um amistoso em Madri, mostrou a magnitude do desafio que Sampaoli terá pela frente.

O desafio de Sampaoli será formar uma equipe para que Messi possa aumentar seu nível. Obviamente, todos os olhos estarão voltados para Messi, cuja única conta pendente com o futebol é ganhar um torneio com sua equipe.

A Estrela: Lionel Messi chega a Rússia com 31 anos e não quer levar o fardo das duas derrotas finais da Copa América, para o Chile nos pênaltis e a Copa do Mundo de 2014. Parecemais preparado fisicamente e com mais experiência. Muitos prevêem que será sua última Copa do Mundo e até mesmo prevê sua aposentadoria da seleção se não se destacar na Rússia.

O Treinador: Jorge Sampaoli deixou o Sevilla pela porta dos fundos porque seu maior desejo era ser o técnico da Argentina e seu próximo sonho é fazê-la campeã. Sua fase de qualificação foi tudo menos brilhante, mas agora uma nova conta começa.

Melhores Resultados: Campeão de 1978 e 1986.

Curiosidade: A Argentina estreia contra a Croácia em uma Copa do Mundo 20 anos depois de seu último encontro contra os europeus.

Time Base: Caballero; Salvio, Otamendi, Rojo e Tagliafico; Mascherano e Biglia; Di María, Meza e Messi; Agüero

Islândia, uma seleção de todos

Na última Eurocopa, o time conquistou os corações de todos os fãs de futebol e até conseguiu uma histórica classificação contra a Inglaterra.

Parece incrível que um país com uma demografia tão baixa – cerca de 330.000 habitantes – conseguiu forjar uma equipe tão sólida e competitiva. E em um tempo recorde. Isto foi demonstrado no torneio das Nações Europeias de 2016 e corroborou na fase de qualificação, onde ele foi o primeiro em um grupo muito difícil em que eram rivais com mais tradição como Croácia, Ucrânia ou Turquia.

A Eurocupa de 2016 foi a prova definitiva do seu nascimento para o futebol de elite e a Rússia é o topo das suas expectativas.

A Estrela: Gylfi Sigurdsson, 28 anos, viajou aos 18 anos para a academia de treinamento do English Reading e desde então se tornou uma regular Premier League através de times como Tottenham, Swansea e Everton, o clube que no ano passado ele pagou 45 milhões de euros para ter o jogador.

O Treinador: Dentista por profissão, Heimir Hallgrimsson tem a honra de se tornar seu 50º ano como o primeiro treinador a liderar a Islândia em uma Copa do Mundo.

Melhores Resultados: Estréia em uma Copa do Mundo.

Curiosidade:  A Islândia é uma das duas equipes que estão debutando na Copa do Mundo na Rússia – a outra é o Panamá.

Time base:Halldórsson, Saevarsson, Árnasson, Ragnar Sigurdsson, Magnússon; Jóhann Gudmundsson, Gunnarsson, Gilfy Sigurdsson, Bjarnason; Bödvarsson, Finnbogason. Técnico: Heimir Hallgrímsson

Croácia, um meio campo cheio de categoria

A Croácia participa pela quinta vez de uma Copa do Mundo depois de se tornar país independente e sua aspiração é clara: tentar imitar a equipe que em 1998, precisamente em sua estréia entre as grandes seleções do torneio de futebol, alcançou o quarto lugar.

O caminho para a Rússia era pedregoso. Os croatas estavam atrás da Islândia em um grupo muito igual e jogou pelo empate contra a Grécia, no último jogo, para conquistar a classificação. Mas finalmente resolveu sem grandes problemas e venceu por 4-1 na primeiro jogo e passou pelo empate sem gols na volta.

Zlatko Dalic, de 51 anos, substituiu Ante Cacic como técnico pouco antes do confronto duplo contra os helênicos, e atendeu às exigências do carismático ex-futebolista Davor Suker, presidente da federação croata.

A Estrela: Luka Modric é o motor de sua equipe. O jogador do Real Madrid é um dos melhores meio-campistas do mundo por sua visão, leitura de jogos e técnica. Sua desvantagem é que aos 32 anos ele carrega muita carga nas pernas.

O Treinador: Zlatko Dalic foi a aposta de Suker quando viu a classificação para o Campeonato Mundial em perigo e tudo correu bem. Vindo das categorias de jovens da equipe croata, ele assinou até 2020 e enfrenta o primeiro grande desafio de sua carreira como técnico.

Melhores Resultados: Quarto na Copa do Mundo de 1998.

Curiosidade: Entre 1940 e 1942, durante a Segunda Guerra Mundial, a Croácia já tinha uma equipe independente que disputou três partidas internacionais

Time base: Subasic; Vrsaljko, Lovren, Vida e Strinic; Brozovic, Rakitic, Modric e Perisic; Kramaric e Kalinic

As super-águias nigerianas, rivais de alto vôo

A Nigéria se classificou para a Copa do Mundo na Rússia com enorme autoridade depois de não perder uma única partida. As “Super Águias” irão disputar sua sexta Copa e parecem estar melhores do que nunca.

Certamente é a equipe africana mais poderosa entre todos os que estarão na Rússia, embora o grupo seja uma complicação extrema. Com a Argentina como favorita, a Nigéria deve disputar a segunda vaga com Croácia e Islândia.

Não é impossível, muito menos, ter jogadores como Alex Iwobi, Kelechi Iheanacho, Victor Moisés ou Ahmed Musa. Mas para poder competir, eles devem superar sua eterna tarefa pendente: manter o rigor tático e não desmoronar quando tiverem que enfrentar um revés durante as partidas.

A Estrela: Victor Moses é o grande líder e jogador de referência na atual Nigéria. Aos 27 anos, ele chega à Copa do Mundo no melhor momento de sua carreira.

O Treinador: Gernot Rohr de 64 anos, liderou o Girondins para a final da Taça UEFA, em 1996, antes de viajar para a África, onde treinou equipas como o Gabão, Níger e Burkina Faso.

Melhores Resultados: Oitavas de final nas Copas do Mundo de 1994, 1998 e 2014.

Curiosidade: A Nigéria ganhou apenas um dos últimos 12 jogos da Copa do Mundo

Time Base: Ezenwa; Victor Moses, Troost-Ekong, Balogun e Echiéjilé; Ndidi, Obi Mikel, Onazi e Musa; Ighalo e Ilheanacho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *