Grupo H: Polônia, Senegal, Colômbia e Japão

Sem um dominador claro, esse é um dos grupos mais equilibrados da competição. A Polônia e a Colômbia levam certa vantagem, mas Senegal e Japão não podem ser menosprezadas.

Colômbia com grandes expectativas

A Colômbia não teve vida fácil até chegar a Copa. Após conseguir a classificação, a meta da Colômbia é clara: melhorar as quartas de final que alcançou no Brasil em 2014.

O treinador argentino José Pékerman tem uma boa lista de jogadores a seu dispor. Por exemplo: James Rodriguez, artilheiro da Copa do Mundo 2014, Juan Cuadrado e Radamel Falcão, os três jogadores que os “cafeteros” torcem para que brilhem na Rússia.

A Estrela: James Rodriguez é o grande nome da seleção. É verdade que nem em sua última temporada no Real Madrid nem no Bayern de Munique, sua equipe atual atingiu o nível que ele exibiu, sem ir mais longe, na Copa do Mundo no Brasil. Mas pela seleção ele sempre atua bem.

O Treinador: Jose Pekerman, está á frente da equipe há seis anos e quer cumpri o propósito que foi dado: fazer Colômbia uma seleção respeitada e, por vezes temido. Ele é um grande líder e a demonstração de que um técnico não precisa gritar ou liberar frases espirituosas para ganhar o respeito de jogadores e fãs.

Melhores Resultados: Quartas de final na Copa do Mundo de 2014.

Curiosidade: James Rodriguez participou de oito dos últimos dez gols de seu país nas Copas do Mundo, marcando seis e dando assistência pra dois.

Time base: Ospina; Santiago Arias, Murillo, Sánchez e Fabra; Carlos Sánchez, Aguillar, Cuadrado e James Rodriguez; Falcao e Téo Guttiérrez

Polônia e a estrela Robert Lewandowski

A Polônia voltou a uma Copa do Mundo graças a uma classificação de fase notável em que perdeu apenas um jogo. Deve lutar pelo primeiro lugar com a Colômbia e deixar para trás Senegal e Japão. Mas isso é apenas teoria.

A referência do time será mais uma vez Robert Lewandowski. O atacante marcou  nada menos que 16 gols durante as eliminatórias.

Mas Lewandowski não está sozinho e a equipe liderada por Adam Nawałka tem no goleiro  Wojciech Szczesny e Lukasz Piszczek uma base sólida, Grzegorz Krychowiak no meio e Arkadiusz Milik também como companheiro de ataque. A Polônia é um time que trabalha para um grande jogador, Lewandowski.

A Estrela: Aos 29 anos, Lewandowski vive uma fase de maturidade no Bayern de Munique e sua forma é reconhecida pelos seusr gols, de preferência com um simples toque.

O Treinador: Adam Nawałka aposentou prematuramente do futebol aos 29 anos por conta de inúmeras lesões, viajou para os Estados Unidos e acabou cortando árvores para viver. Ele retornou à Polônia, entrou na federação e como treinador soube forjar uma equipe em torno de uma estrela sem os egos.

Melhores Resultados: Terceiro colocado em 1974 e 1982.

Curiosidade: A Polônia perdeu seis de seus últimos oito jogos na Copa do Mundo e não marcou em qualquer uma dessas derrotas

Time base: Fabianski; Piszczek, Salamon, Glik e Rybus; Krychowiak, Kapustka e Zielinsk; Kuba, Milik e Lewandowski

 

Senegal viaja para a Rússia para tentar superar a ‘doença da altura’

Na única Copa do Mundo disputada em 2002, o Senegal chegou às quartas-de-final diante da descrença de todos. E ele só foi parado no tempo extra. Agora ele retorna a uma Copa do Mundo e seu objetivo é deixar muitas pessoas de boca aberta.

Aliou Cisse lidera a equipe nacional desde 2015. Em suas mãos, quer deixar para trás o estigma que o persegue há anos: o sofrimento “a doença de altura.”

Porque nos últimos anos, o Senegal muitas vezes não consegue atender às expectativas. Considerado como um dos poderes africanos por anos, não pára de dar o salto de qualidade que é necessária, mesmo em uma Copa da África em seus últimos desempenhos foram tão pouco decepcionante.

Sadio Mané, M’Baye Niang, Koulibaly, Kouyaté e veterano Moussa Sow são as principais armas de uma seleção com física insuperável, mas com outros partidos ou deficiências.

A Estrela: O treinador do Liverpool, Jürgen Klopp, fez de Sadio Mané uma estrela. Um jogador cheio de eletricidade, com um futebol vertical e que acrescentou nos últimos tempos a virtude do gol.

O Treinador: A demissão de Amara Traore levou à chegada do jovem senegalês Aliou Cisse em 2015 e neste curto espaço de tempo conseguiu dar uma identidade para a equipe.

Melhores Resultados: Quartas de final na Copa do Mundo de 2002.

Curiosidade: O treinador senegalês Aliou Cisse foi o capitão da equipe que chegou às quartas na Copa do Mundo de 2002

Time base: N’Diaye; Koulibaly, Mbodji, Mbengue e Wagué; Kouyaté, Ndiaye, Gueye e Diafra Sakho; Sadio Mané e Keita Baldé

Japão chega a seu sexto mundial consecutivo

O novo treinador, Akira Nishino, mantém sua fé em uma equipe que foi eliminada no Brasil 2014 na fase de grupos com um empate e duas derrotas, por isso não será difícil deixar a Rússia com um gosto melhor na boca.

Não é novidade para ninguém que quase todas as suas chances da equipe estarão nos pés de Keisuke Honda, Shinji Kagawa, Makoto Hasebe e Shinji Okazaki. Mas, mais do que isso, o desafio de Akira Nishino é equipar o time com uma organização coletiva que permita que sua equipe seja competitiva no mais alto nível.

Não será um grupo simples que estará na Rússia, porque em princípio a Polónia e a Colômbia começam como favoritos para entrar no segundo turno e o Senegal que também não é uma seleção simples.

A Estrela: Makoto Hasebe, 33 anos, foi fundamental na sua seleção com a chegada de Akira Nishino na seleção. Apesar de parecer um jogador de baixo perfil, o meia do Eintracht tem uma ética de trabalho e um rigor tático vital para o Japão conseguir seus objetivos no mundial.

O Treinador: A federação japonesa optou por um homem da casa, Akira Nishino, para tentar elevar o Japão a um nível mais alto. Ele dirigiu a equipe nacional no mundial sub23 e conseguiu derrotar o Brasil em 1996 nos Jogos Olímpicos de Atlanta.

Melhores Resultados: Oitavas-de-final nas Copas do Mundo de 2002 e 2010.

Curiosidade: A Liga Japonesa limita o número de jogadores estrangeiros a três para promover o desenvolvimento de futebolistas nascidos no seu país e aumentar o valor da sua seleção nacional

Time base: Kawashima; Sakai, Hasebe, Yoshida e Nakamoto; Gen Shoji, Yamaguchi Ideguchi e Asano; Osako e Honda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *