Argentina ressurge na Copa do Mundo e Messi mantém o sonho do título mundial vivo

A missão da Argentina não era simples. Vencer a Nigéria e torcer por um resultado favorável entre Islândia e Croácia era o de menos, dificil mesmo seria controlar os nervos do time e torcida, tudo isso sob o olhar ferrenho da imprensa portenha. Até msm Sampaoli, contestado com suas ideias de jogo, escolha de jogadores e esquemas tático, acaba sendo mais um adversário de o selecionado tem que lutar contra no mundial.

Por tudo isso, o enredo do jogo era certo: drama do inicio ao fim. E assim,foi. Os hermanos precisavam vencer suas incertezas, colocar a bola no chão e vencer a partida e tudo isso começou logo aos 14 minutos. Banega, exigido por boa parte da imprensa como titular da seleção, encontrou uma abertura no meio da defesa nigeriana e deixou Messi cara-a-cara com o goleiro africano. O domínio genial de “La Pulga” o colocou em condições de marcar o primeiro gol e dar um alento ao seu torcedor e assim foi.

Messi comemora o primeiro gol da Argentina no jogo. (Foto: Alex Livesey/Getty Images)

Com a vantagem no placar, o time argentino ficou mais tranquilo na partida e conseguiu impor seu ritmo de jogo até sofrer o empate. O juiz da partida enxergou um pênalti em um daqueles lances discutíveis e teve que recorrer ao VAR para assegurar sua marcação, que continuou sem convencer a quem assitia.

A partir daí o roteiro voltou a ser aquele que se desenhava desde a derrota argentina diante da Croácia. O drama tomava de conta do estádio, a sombra do jejum de 23 anos sem uma conquista pulsava na cabeça dos argentinos. Até que aos 40 minutos, o alívio de toda uma nação veio com Rojo. O defensor que começou a partida na zaga, aquela altura do jogo já era lateral e apareceu no meio da área pra mandar a bola pro gol e explodir uma nação que tinha um nó na garganta.

Rojo apareceu na área pra marcar o gol da classificação portenha para as oitavas.

Nova fase e duelo de campeões

A Argentina tá viva na competição, pelo menos até sábado, quando volta a campo contra a França. Um duelo de campeões mundiais dificilmente tem um favorito. Os franceses, por terem um time mais jovem e e mais estruturado, leva certa vantagem contra os argentinos. Mas, a partir de agora é um confronto eliminatório e nesse tipo de jogoa tensão toma conta da partida e tudo pode acontecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *