Com Vinicius Júnior não existe meio termo

Desde que o Real Madrid efetuou a compra do jovem atacante do Flamengo, a vida de Vinicius Júnior se tornou um “inferno”, pelo menos nas discussões sobre o seu futebol.

Nos debates, não existe meio termo para o jogador. Ou ele será o melhor do mundo ou um fiasco. Se ele for um Robinho, a carreira dele já será grandiosa ou se ele virar um Neymar será acima das expectativas.

A imprensa, principalmente a brasileira, vem criando um craque que ainda não demonstrou todo esse futebol depositado nele. Isso cai sobre os ombros do moleque.

A discussão sobre seu verdadeiro potencial parece uma ‘briga sobre política’. São dois lados fanáticos defendendo o seu ponto de vista sem se importar com os fatos colocados na mesa.

Existem inúmeros fatores tanto para o bem quanto para o mal na formação de opinião sobre Vinicius Júnior.

Pelo que demonstrou no profissional, a bagatela 45 milhões de euros (cerca de R$ 164 milhões) não vale o seu futebol, mas o Real Madrid não pagou pelo MOMENTO e sim no POTENCIAL que ele pode se tornar. A diferença das quase duas temporadas dele com a camisa Rubro-Negra mostra uma gritante evolução. De promessa a decepção em um primeiro momento para a protagonista do líder (até sua saída) do Campeonato Brasileiro.

Para os críticos ainda é muito pouco. Mas, foi assim com todas as outras promessas que apareceram no futebol brasileiro. Parece que falar “eu avisei” caso ele não vingue é mais satisfatório do que torcer pelo jovem .

O problema é acharem que é um novo gênio do futebol brasileiro. É um bom jogador, mas não se pode depositar as esperanças de uma futura seleção nele.

Ele pode até não ser o craque que promete, mas a perseguição com as promessas brasileiras beira o ridículo. Seja ela com as que deram certo ou não. Robinho tem uma carreira brilhante e até hoje é perseguido como “eterna promessa”. Quando um estrangeiro aparece, independente do que ele fizer, já o tratam como craque. Por ele ser do Flamengo, a pressão e a torcida contra é ainda maior para o MOLEQUE que fez 18 anos e já é titular do Real Madrid (na pré-temporada). É muita pressão e nem todos aguentam. Das últimas GRANDES revelações do nosso futebol, todas tiveram grande expectativa na base e vingaram, que aconteça com Vinicius Junior. Foi assim com Neymar, Gabriel Jesus, Coutinho e muitos outros.

Longe do Brasil, pode ser que a evolução seja natural tanto técnica quanto tática, física e, principalmente mental.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *