Fluminense e o vice-campeonato na Libertadores 2008

Neste ano completam-se 10 anos daquela grande edição da Libertadores

O ano era 2008. Enquanto o Campeonato Brasileiro estava a mil, na Libertadores para o Fluminense, os zeros aumentavam mais três vezes. Isso por que a equipe carioca estava muito bem na competição, querendo conquistar o seu primeiro título continental em sua história.

No ano anterior, o São Paulo havia sido campeão do Brasileirão, e o Flu, alcançou o 4º lugar, se classificando também para a Libertadores. O Cruzeiro também se classificou, mas foi disputar a primeira fase para, depois, entrar nas fase de grupo. Com todos os brasileiros classificados, o time mineiro ficou no grupo A, enquanto Flamengo (grupo D), Santos (grupo F), São Paulo (grupo G) e Fluminense (grupo H) já esperavam aquela primeira fase acabar para, enfim, começar a grande batalha.

O Fluminense, de Renato Gaúcho, era muito forte, até por que vinha como campeão da Copa do Brasil do ano anterior. Com Washington, Thiago Neves e companhia, a Maquina Tricolor demonstrava brigar intensamente no torneio. Em seu grupo, outras três equipes também disputavam para garantir classificação. LDU, Arsenal de Sarandí e Libertad do Paraguai eram os “vilões” dos brasileiros.

Na primeira partida, contra a LDU, o Fluminense arrancou um empate em Quito, sendo uma boa para os brasileiros, pois fora de casa, qualquer ponto era importante. No Rio de Janeiro, já pela segunda rodada, o Flu enfrentou o Arsenal da Argentina, no Maracanã. Foi um placar elástico. Foi 6 a 0 para o Fluminense, além de uma partida espetacular de todos os onze jogadores em campo.

Thiago Neves, Dodô (2), Gabriel, Washigton e Cícero marcaram os gols. Confira:

Aquele jogo deu mais brilhantismo ao Flu, após uma goleada para cima do Arsenal. Contra o Libertad, ganharam novamente, agora, pelo placar de 2 a 0, dentro do Defensores del Chaco, na casa do rival. Era certo que fora de casa o Fluminense não jogaria com tanta maestria como jogava no Maracanã. Isso era notório, contudo, a vitória foi mais uma vez importante para deixarem os brasileiros ainda mais confiantes.

Na partida de volta, contra o mesmo Libertad, Cícero e Thiago Silva ajudaram o Tricolor na vitória de 2 a 0. Na penúltima partida, contra o Arsenal, o time das Laranjeiras acabou com a invencibilidade, pois perdera para os argentinos por 2 a 0. Na última, já contra a LDU, o Flu conseguiu a vitória, suada, por 1 a 0. Foram inúmeras chances desperdiçadas para o Fluminense. Gols que poderiam entrar, mas não fora com êxitos. Mas ganharam, por 1 a 0, com gol de cabeça de Cícero.

Com a classificação, os cariocas estrearam as oitavas de final, contra o Atlético Nacional. Vale ressaltar que tanto no primeiro, quanto no segundo, o Fluminense avançou, sem muitas preocupações. A cada jogo, o “ataque” tricolor conseguia aumentar seus números de gol, até por que todo o setor, ataque,defesa e meio colaboravam com os gols e classificação do time.

Nas quartas, o clássico entre tricolores. O  tricolor paulista e o carioca se enfrentavam para saber quem passaria de fase. Era o campeão brasileiro contra o campeão da Copa do Brasil de 2007, enfrentando-se para as semifinais. No Morumbi, lotado, com mais de 61 mil pagantes, o tricolor paulista conseguiu garantir a vitória. O placar de 1 a 0, com gol de Adriano, deixou o São Paulo sonhar com a classificação. Veja os melhores momentos:

 

Mas tinha o jogo de volta, e no Maraca, o time da casa levou a melhor. O placar de ida por 1 a 0 não intimidou o tricolor carioca. No Rio, 68 mil torcedores lotaram o grande estádio para aquele duelo. Com a torcida do seu lado, o Fluminense venceu, e bem, pelo placar de 3 a 1. Vencendo e se classificando, o tricolor carioca avançava para as semifinais da Libertadores, agora, pegando mais um gigante, o Boca Juniors.

Temido em qualquer campo da Argentina, o Boca era também um dos candidatos ao título da competição. Com Riquelme e companhia, os argentinos demonstravam ser copeiros naquela edição. Na Argentina, um placar curioso deixaram todos atenciosos. O Fluminense havia empatado por 2 a 2, com gols de Thiago Silva e Thiago Neves. Riquelme, para o Boca, marcou os dois.

A partida foi impressionante. O Flu tentou jogar de igual para igual contra os argentinos, e assim, conseguiu um ponto importantíssimo naquele primeiro jogo. O empate fora de casa favoreceu ao time das Laranjeiras. E no segundo jogo, uma alegria enorme para os milhares de torcedores que estavam no confronto de volta no Maracanã. Até quem não era torcedor do Fluminense vibrou pela eliminação do Boca. O placar, favorecendo aos brasileiros, foi de 3 a 1, classificando-os. Washington, Conca e Dodô foram os marcadores daquela segunda partida.

fluminense libertadores 2008

Passando para a final, o Fluminense acabou revendo um grande adversário. A LDU do Equador, que estava na fase de grupos junto com o Flu, era também finalista. Avançou nas oitavas, eliminando Estudiantes, nas quartas, eliminando San Lorenzo e nas semi, o América do México.

Relembrando ainda as fases de grupo, o primeiro jogo dos dois teve um placar “favorável” aos brasileiros, pois haviam empatado por 0 a 0 no Equador. No Brasil, o Flu venceu por 1 a 0.

Entretanto, a final foi completamente diferente da primeira fase. A LDu havia evoluído muito, assim também como o Fluminense. Já estavam acostumados com os jogos e a adrenalina do que era a Libertadores.

No primeiro jogo da final, no estádio Casa Blanca, Fluminense e LDU fizeram um ótimo jogo. Os equatorianos, principalmente, ganharam o maior destaque e o resultado. 4 gols para o LDU, 2 para o Fluminense. O placar foi esse naquela primeira final. O Flu, jogando fora de casa, jogou bem diferente, pois tomar quatro gols não estava no script do técnico Renato Portaluppi.

Com um placar elástico, a LDU tinha uma boa vantagem para o jogo de volta. Sim, tinha, mas o Fluminense foi guerreiro. Conseguiu vencer dentro de casa, com o Maracanã lotado, com 78 mil torcedores empurrando cada jogador. Intensivo, o Fluminense venceu a LDU por 3 a 1, e assim, pondo ainda mais pressão naquela final. Pelo placar do primeiro e segundo jogo, a decisão ia para as penalidades, pois havia um empate entre as equipes. A final dos pênaltis, muita gente já sabe, mas para lhe dar ainda mais emoção, confira todo o jogo no link abaixo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *