O ano em que dois times ingleses estavam na final da Champions League

Na temporada 2007-08, Blues e Red Devils se enfrentaram na grande final na competição da UEFA

Era mais uma temporada de Liga dos Campeões para os gigantes do continente europeu. Barcelona, Real Madri, Bayern, Chelsea, Manchester United, Liverpool, Milan, etc, disputavam para quem seria campeão da edição 2007-08. Algumas equipes eram favoritas ao título. Mas Manchester United e Chelsea, dois clubes ingleses, acabaram se consagrando e decidindo a grande final do torneio mais importante entre clubes. Vamos relembrar os desafios de ambas as equipes até chegarem na grande final.

A fase de grupos

O time do então técnico da época, José Mourinho, tinha uma equipe muito bem qualificada, com uma defesa sólida com Terry e Alex, um meio-campo com Makelélé, Lampard e Ballack e um ataque devastador que tinha como Dididier Drogba como principal referência, com certeza, tinha tudo para se dar bem na Champions. Vale ressaltar que o experiente Andriy Shevchenko ainda compunha aquele esquadrão inglês. No grupo B, os Blues tinham Valência, Rosenborg (Noruega) e Schalke 04 como adversários principais daquela primeira fase. No primeiro jogo, empate do Chelsea com o Rosenborg, dentro do Stamford Bridge, por 1 a 1. Shevchenko (Chelsea) e Miika Koppinen (Rosenborg) foram os marcadores.

Enquanto isso, o United, no grupo F, tinha em seu primeiro caminho o Sporting, de Portugal. Fora de casa, o time inglês venceu o português por 1 a 0, com gol de Cristiano Ronaldo. Vale ressaltar que no grupo do Manchester, também havia Dynamo Kiyv e Roma como adversários.

Já no segundo confronto, contra o Valência, o Chelsea conseguiu uma importante vitória fora de casa por 2 a 1. Ali foram os primeiros três pontos do time de Mourinho na competição. Vale ressaltar que aquela vitória fora de casa foi muito importante, pois o primeiro jogo, diante de um clube não muito tradicional na competição, deixaram os torcedores atentos no que poderia rolar ao decorrer da edição. Joe Cole e Drogba marcaram os gols do Chelsea. Já diante da  Roma, o United venceu novamente, com gol de Wayne Rooney, dentro do Old Trafford. Diferente do rival da terra da rainha, o Manchester já havia vencido os dois primeiros jogos, até então, com 100% de aproveitamento.

No terceiro jogo – e último da rodada de ida-, o Chelsea enfrentou o Schalke 04, dentro do Stamford Bridge. Mas desta vez, os Blues não deram vexame. Emplacaram 2 gols contra os alemães, vencendo-os por 2 a 0 e, assim, tranquilizando ainda mais a sua ida para a próxima fase da Champions, isto porque, o time alemão era um dos favoritos a classificação para as oitavas, assim como o Chelsea. A única diferença era quem seria o primeiro e segundo.

Contra o Dynamo, mais uma vitória dos Red Devils, sendo esta sendo esmagadora, pelo placar de 4 a 2. Detalhe: era um jogo que o clube ucraniano jogava dentro de casa. Os marcadores daquela partida foram Ferdinand, Rooney e Cristiano Ronaldo, este último fazendo dois gols.

Nos últimos três jogos, o Chelsea não mostrou dificuldades. Venceu uma partida e empatou duas, sendo líder com 12 pontos e terminando a fase de grupos invicto. Foi 0 a 0 com o Schalke, 4 a 0 sobre o Rosenborg e novamente um 0 a 0 contra o Valência. Enquanto isso, no grupo F, uma certa equipe inglesa não tomava conhecimento de seus adversários. Contra o Kiyv, agora dentro de casa, o United massacrou o adversário pelo placar de 4 a 0. Já contra Roma e Sporting, o já classificado United venceu mais uma vez o Sporting, agora pelo placar de 2 a 1, e no último jogo da fase de grupos, empatou com a Roma por 1 a 1.

Fases finais

Nas oitavas, o Chelsea eliminou o Olympiakos da Grécia, com um 0 a 0 fora e um 3 a 0 na Inglaterra, avançando para as quartas e enfrentando o Fenerbahçe, da Turquia. Vale ressaltar que o time turco, dirigido por Zico, na época, demonstrava um bom futebol, tanto é que, no grupo G, os turcos chegaram em segundo lugar (11 pontos), vencendo até mesmo a Inter de Milão, em seu primeiro jogo, por 1 a 0. Os Canários Amarelos, como é chamado o Fenerbahçe, desclassificaram o Sevilla nas oitavas e, então, queria eliminar o poderoso Chelsea na fase posterior. E nas quartas, o primeiro confronto deixou muita gente de olhos bem abertos. É que o time de Alex e companhia, jogou o fino da bola. Para muitos, aquela primeira partida mostrou um significado importante de que era preciso tomar cuidado com as surpresas do campeonato. Como já dito, o Fenerbahçe demonstrou ser uma equipe dura na competição. E olha no que deu: Fenerbahçe 2, Chelsea 1. Um jogão!

Parecia que, depois daquilo, mais um time tradicional europeu sairia da Champions. Muitos queriam que Zico, Alex, Lugano e companhia passassem para a próxima fase e tentando, quem sabe, uma final. Contudo, depois de uma semana bem rápida, Chelsea e Fenerbahçe se enfrentavam novamente, dentro do Stamford Bridge. Mas desta vez, os Blues sairam vitoriosos no campo. Conseguiram fazer 2 gols e não deixaram os turcos marcarem. Com gols de Ballack e Lampard, o Chelsea classifava-se para as semi, e desta vez, enfrentando um grande rival, o Liverpool. No primeiro jogo, 1 a 1 para ambas as equipes. Já no segundo, o Chelsea acabou se dando melhor: 3 a 2 para os Blues. Vale lembrar que o time já era comandado por Avram Grant. Uma partida excepcional dos dois clubes ingleses. Confira os melhores momentos:

Do outro lado da chave, Lyon e Manchester batalhavam pela classificação para as quartas. Mas os diabos vermelhos, por mais que haviam empatado o primeiro jogo por 1 a 1 na França, não se abateram na competição. No jogo de volta, venceram o Lyon por 1 a 0, e assim, acabando com o sonho de Juninho Pernambucano e companhia de atuarem na fase seguinte. E por falar em fase seguinte, nas quartas de final, o adversário da vez foi a Roma, uma velha conhecida do United naquela edição de Champions. Entretanto, a cada jogo disputado, o elenco de Sr. Alex Ferguson crescia ainda mais, dando ótima impressão para os torcedores que assistiam aquele time jogar.

No primeiro jogo, os italianos não conseguiram segurar a ofensividade inglesa, mesmo dentro de casa. O ataque do United, nos contra-ataques, era muito mais que ameaçador. Devastava as defesas rivais e colocava medo nos defensores adversários. No Olímpico, 2 a 0 para o time visitante, com gols de Cristiano Ronaldo e Wayne Rooney. E na volta, mais uma vitória do primeiro colocado do grupo F. O gol foi marcado por Carlos Tévez. Confira os melhores momentos do segundo jogo das quartas de final:

Pela semi, o Barcelona era a bola da vez. O líder do grupo E e o líder do grupo F se enfrentaram para quem conseguiria chegar na grande final da Champions 2007-08. Os espanhóis, na partida de ida, jogavam dentro de casa, no Camp Nou. Era um confronto de gigantes não só por equipes, mas também por jogadores. De um lado, Lionel Messi, astro argentino que já demonstrava seu potencial com seus dribles e velocidade. Do outro, Cristiano Ronaldo, a máquina portuguesa de fazer gols. Um grande confronto, mas que deu ao Manchester a chance de sonhar ainda mais alto quando, na Espanha, conseguiu um empate por 0 a 0 contra o Barcelona. E aí, na Inglaterra, carimbou sua ida à final pela vitória de 1 a 0, com um jogo bem equilibrado. O veterano Paul Scholes marcou o único gol daquela decisão.

 

A grande final

Dois ingleses disputavam a grande final naquela edição. E não era somente dois times em uma rival. Eram dois adversários. Dois rivais poderosos no cenário europeu e mundial. Investimento, jogadores, torcida…tudo isso estava incluso naquela final. Chelsea e Manchester United mereceram está naquele último confronto de Liga dos Campeões. Em Moscou, no estádio Lujniki, casa do Spartak, blues e Red Devils entraram em campo em busca da “orelhuda”. Era Cristiano Ronaldo x Drogba; Giggs x Lampard; Cech x Van der Sar; Manchester x Londres.

Resultado de imagem para united x chelsea 2007 08 champions league
Na final, Cristiano Ronaldo marcou um lindo gol de cabeça

Os dois clubes entraram em campo com a seguinte escalação

United:Van der Sar; Brown, Ferdinand, Vidic, Evra; Hargreaves, Scholes, Carrick; Cristiano Ronaldo, Tevez, Rooney

Chelsea: Cech; Essien, R. Carvalho, Terry, Cole; Makelele; Ballack, Lampard, Joe Cole; Malouda, Drogba

Os noventa minutos não foram pareis para ambos os times. Era preciso que as penalidades decidissem quem iria ser o campeão da edição 2007-08. O jogo terminou de 0 a 0 e, então, vieram os pênaltis. Foi uma partida difícil, tanto para um quanto para o outro. Os dois estavam focados e querendo o título. Mas nas cobranças de pênaltis, brilhou a estrela do time que tinha mais Champions daquela final. O United levantou mais uma taça, sendo esta a terceira da história.

Para relembrar aquela emocionante final, veja o vídeo dos melhores momentos entre Chelsea e Manchester United na final da Champions League temporada 2007-08

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *