Klopp e o duelo contra espanhóis

O atual técnico do Liverpool, Jurgen Klopp, é finalista da Uefa Champions League da temporada 2018-19. Em duas temporadas seguidas, o Liverpool chega nas finais da competição e enfrentando espanhóis, nas decisões de mata-mata. Para você que tem uma memória um pouco fraca, vamos relembrar as principais vezes que o treinador do Liverpool enfrentou clubes da Espanha.

A temporada espetacular do Borussia Dortmund

Na Champions, temporada 2012-13, o então técnico do Dortmund, vinha com belos trabalhos no cenário nacional e internacional. Isso por que na temporada 2011-12, Klopp e companhia foram campeões da Bundesliga naquela temporada. Um ano depois, o Dortmund seguia como surpresa na Liga dos Campeões. Na fase de grupos, o clube alemão conseguiu a primeira posição do grupo D, com 14 pontos, deixando o poderoso Real Madri na segunda posição.

Na fase seguinte, conseguiu eliminar o Shakhtar Donetski com tranquilidade. Nas quartas, eliminou o primeiro espanhol, o Málaga, que também vinha de jogos bem vistosos.

Aquele confronto entre os Boquerones fora uma das partidas mais marcantes daquela temporada, tanto na ida quanto na volta. O Dortmund de Reus, Gotze e Lewandowski suaram para se classificarem. O primeiro jogo,na Espanha, não teve gols. Um zero a zero duro e puxado para ambas as equipes. Em Dorrtmund, o jogo foi ainda mais emocionante. Weidenfeller e Caballero foram muito importantes naquele jogo, mas o Dortmund acabou vencendo, graças ao seu time que naquela época, era espetacular. Veja os melhores momentos:

Classificados, o Dortmund também enfrentaria outro clube espanhol nas semifinais, este agora, um velho conhecido, o Real Madri, que na fase de grupos, tinha-o como adversário.

Na primeira partida, no Signal Iduna Park, um baile dos alemães. O placar favorável de 4 a 1 para o time da casa fez com que vários torcedores do Dortmund e do mundo todo vissem aquele time brilhar em campo. Klopp tinha um time eficiente e muito ofensivo. Dortmund e Klopp era a combinação perfeita naquele momento. Era uma coisa de louco. O encaixe perfeito fazia com que o Borussia pudesse chegar ainda mais longe.

Ao final do jogo, tanto madridistas quanto o mundo todo ficou surpreso como aquele time jogava bem. Jurgen Klopp já mostrava que era mais que um bom treinador. Era um maestro. Arquitetava seu time no campo,fazendo belas partidas, com um meio-campo compactado e um ataque avassalador.

 

Na partida de volta, uma derrota, no Santiago Bernabéu, para o Real Madri. Já estava no script que o Borussia poderia sair dali como perdedor, contudo, o importante foi a classificação. Classificou-se para a final e enfrentaria o Bayern de Munique, de Jupp Heynckes.

Infelizmente, Klopp não conseguiu o título nessa temporada, pois viu o Bayern ser campeão da Champions. Mesmo com a não conquista, podia colocar aquela final como experiência, e quem sabe, esperteza nas próximas temporadas.

 

As duas finais consecutivas

Na temporada 2017-18, Klopp deixou o Liverpool sonhar ainda mais com uma possível Uefa Champions League. Última vez que o Liverpool havia conseguido chegar em uma final fora contra o Milan, na temporada 2004-05, naquela final que ficou conhecida como o “Milagre de Istambul”.

O Liverpool, ano passado, enfrentaria o Real Madri, atual campeão da Champions League. Tinha chances, sim, de conseguir ser campeão. Klopp tinha um trio que produzia muito bem aquilo que ele queria. Velocidade e eficiência era o forte que Salah, Mané e Firmino, os três atletas com mais destaque. O técnico alemão tentou fazer de tudo, mas o Real Madri tinha também um time muito forte. Porém, por uma infelicidade, uma de suas principais peças, o egípcio Mohamed Salah, ainda no primeiro tempo, se contundiu e desfalcou o time naquela final.

O Real não queria saber. Não estava nem aí e acabou vencendo a partida, graças também a falhas do goleiro do Liverpool, Loris Karius. Klopp, naquela temporada, merecia algo.Um título. Ele é um gênio. Trabalhou muito para que aquele Liverpool pudesse chegar lá. Estava num momento fantástico da carreira. Todavia, por mais que não havia conseguido o título, não se calou. Trabalhou mais, e nesta temporada, deixou o Liverpool ainda mais forte. Contratou peças importantes como o goleiro Allison e o melhor zagueiro da Premier League, o holandês Virgil Van Diijk.

Atualmente, o Liverpool, ao lado do Manchester City de Guardiola, lutam ponto a ponto em busca do título da Premier League. Faltam apenas duas rodadas para saber quem será o campeão, e mesmo tendo uma outra disputa pela frente, Klopp não se abate e quer o título. Na Champions, está na final. Eliminou o Barcelona, outro clube espanhol que estava no caminho, e num jogo histórico em Anfield Road, Klopp botou os seus jogadores para quebrar mais um tabu e fazer com que a música You´ll Never Walk Alone prevalecesse naquele lindo estádio. Você nunca caminhará sozinho. Era o que Klopp queria transmitir para os milhares de torcedores que, apreensivos, queriam o time classificado. O 3 a 0 no Camp Nou não abateu o técnico, pois ele sabia que o time poderia construir uma reversão no jogo de volta. Final de tudo, 4 a 0 e uma classificação histórica dos ingleses para a grande final.

É notório que os jogadores merecem, sim, destaques quando falamos na classificação do Liverpool. Até por que foi uma virada histórica. Mas Klopp também merece. É um técnico novo, que vem de uma safra de técnicos estrategistas e cheios de ideias mirabolantes que dão mais do que certo. Ele não é só mais um nome conhecido que chega em um time grande e faz campeonato meia-boca. É um cara excepcional e que, desde o Borussia Dortmund, mostra para todos que está no top 5 de melhores técnicos do mundo.

Agora, terá uma final histórica novamente, contra um outro time inglês, onde fará um clássico histórico contra o Tottenham.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *